Mentira!

Neste blog e noutros sites do autor poderá prever o futuro do país tal como o presente foi previsto e publicado desde fins da década de 1980. Não é adivinhação, é o que nos outros países há muito se conhece e cá se negam em aceitar. Foi a incredulidade nacional suicidária que deu aos portugueses de hoje o renome de estúpidos e atrasados mentais que defendem os seus algozes sacrificando-se-lhes com as suas famílias. Aconteceu na Grécia, acontece cá e poderá acontecer em qualquer outro país.
Freedom of expression is a fundamental human right. It is one of the most precious of all rights. We should fight to protect it.

Amnesty International


20 de dezembro de 2007

Sistema biométrico do poder

Como anarquista, não deixo de me surpreender com este “admirável mundo novo” da globalização neoliberal. Se não em todos, na esmagadora maioria dos casos, as inovações tecnológicas a que temos vindo a assistir servem muito mais os propósitos do complexo poder-empresas, do que os indivíduos, os cidadãos. A estes é dado aquilo que considero um papel instrumental, descartável. E a atestar este raciocínio está o facto indiscutível de que o desemprego aumenta de uma forma nunca vista antes. A produção e o lucro estão à frente da necessidade de o ser humano obter a sua realização através da actividade produtiva, criativa.

Vem este preâmbulo a propósito do facto de os funcionários da Direcção-Geral das Contribuições e Impostos passarem a ser controlados através de sistemas biométricos – mais um neologismo tecno-capitalista – que lêem as impressões digitais. Este sistema irá controlar a assiduidade dos trabalhadores, ao que dizem. Sugiro que leiam esta notícia que publiquei no meu site Contracorrente sobre este tema. Segundo os princípios sobre a utilização de dados biométricos, no controlo de acessos e assiduidade dos trabalhadores, aprovados – imagine-se! - pela Comissão Nacional da Protecção de Dados, a lei reconhece que o sistema se integra no âmbito dos poderes de controlo da entidade responsável pelo tratamento destes dados.

E não ficamos por aqui: o secretário de Estado da Saúde assinou, em Setembro, um despacho que determina a implementação do controlo de assiduidade biométrico nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde. Claro, como não podia deixar de ser, esta solução é vista com alguma reserva por parte dos sindicatos. Pelo meu lado, não existe reserva de espécie alguma, mas antes uma condenação liminar. É este o Estado e o poder que desejamos para os nossos cidadãos? Um novo Big Brother orwelliano?

4 mentiras:

Um Momento disse...

De acordo!
Hoje em dia a comercialização está acima de ( quase) tudo
É pura e simplesmente incrivel!

Deixo um beijo e o desejo de boas festas
(*)

A. João Soares disse...

George Orwell não era propriamente um sonhador vulgar. Era um profeta. O que parecia ficção era uma antecipação do que agora já é uma realidade. As câmaras de vídeo são uma outra forma de controlo indiscriminada que testemunha cada passo de cada cidadão. Há quem diga que os raptos de crianças são provocados com a finalidade de convencer os pais a não resistirem à decisão de implantar um chip em cada bébé. Dentro em breve cada cidadão tem um chip que permitirá detectar o local exacto em que se encontra. Uma boa ferramenta para os detectives descobrirem as infedilidades conjugais!!! e outras irregularidades, próprias de terroristas, mas também de homens de negócios. O negócio deixa de ter o segredo como arma!
Abraço
Feliz Natal

Paulo Sempre disse...

FELIZ NATAL!!

Pata Negra disse...

O Rei dos Leittões deseja a este blog um Natal cheio do-que-ouves e um Ano Novo cheio de propriedades.
Um abraço da pocilga