Mentira!

Neste blog e noutros sites do autor poderá prever o futuro do país tal como o presente foi previsto e publicado desde fins da década de 1980. Não é adivinhação, é o que nos outros países há muito se conhece e cá se negam em aceitar. Foi a incredulidade nacional suicidária que deu aos portugueses de hoje o renome de estúpidos e atrasados mentais que defendem os seus algozes sacrificando-se-lhes com as suas famílias. Aconteceu na Grécia, acontece cá e poderá acontecer em qualquer outro país.
Freedom of expression is a fundamental human right. It is one of the most precious of all rights. We should fight to protect it.

Amnesty International


14 de outubro de 2009

Maitê Proença, vergonhosa

Gosto de chamar a atenção para algo que considere necessário melhorar, mas sem ofender as pessoas na sua qualidade com defeitos e virtudes, como seres humanos. Tenho respeito por todo o ser vivo e seria incapaz de ofender os brasileiros ou os naturais de qualquer país. Mas não posso deixar de verberar a insensatez e a maldade viperina desta pessoa que veio a Portugal colocar muito mal vistos os nossos amigos brasileiros, porque os portugueses menos informados não deixarão de ceder à tentação de generalizar. Esta pessoa merece ser socialmente criticada no seu País e proibida de entrar em Portugal.
Transcrevo o post colocado por Ana Martins no Sempre Jovens.

Maitê Proença. Vejam o vídeo e divulguem por favor

A todos os leitores, amigos e visitantes deste espaço quero aqui formalizar a minha indignação pela atitude da actriz brasileira Maitê Proença, aquando da visita dela a Portugal.
Maitê Proença não se poupou a esforços para ridicularizar Portugal e portugueses, mas na verdade só demonstrou a sua total ignorância e ridícula foi ela.

Ana Martins

Segue-se o texto recebido por e-mail

Vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=1GCAnuZD7bk

Este vídeo foi para o ar no programa Saia Justa. A actriz (?) e escritora (?) Maitê Proença estava em Portugal por causa de uma peça teatral e aproveitou o seu momentos de horas vagas (?) para fazer algumas imagens para o quadro do semanal do canal GNT. A pergunta é: como isso foi para o ar? O tema? Aquele mesmo assunto pobre de sempre: gozar com os portugueses. Como isso ainda não basta, ela terminou o vídeo cuspindo. A pergunta é novamente: para quê? Será um laboratório para ela ser “o próximo chafariz” da nova novela da TV Record?

Todo o vídeo é uma ofensa a Portugal e aos portugueses. Começa por ir a Sintra para mostrar uma porta de uma casa aparentemente comum com o 3 virado para a direita e, sem perceber o significado esotérico, zoa com os portugueses, pois diz que aquilo demonstra que está em Portugal - os caras nem sabem colocar direito um algarismo numa porta! Só vai a Sintra, que tem imensos monumentos, castelos e palácios, para gozar com aquilo.

Depois goza com o Tejo ser, para os portugueses, o mar, quando na realidade ela está junto ao Estuário do Tejo, onde o rio desagua no mar e ambos se confundem. Fala também no Salazar, de que ela não sabe nada, imaginando que, por ter sido um ditador, foi igual a Hitler ou a Mussolini. Goza com o túmulo de Camões, com o estilo arquitectónico manuelino, enfatisando o Manuel, nome injuriado no Brasil nas piadas de português e fala também no episódio no Hotel com o seu PC, quando o Hotel tem áreas de Internet e se tinha problemas com o seu Computador pessoal, deveria usar o equipamento disponível no Hotel para os clientes. O Hotel não tem obrigação de reparar os equipamentos pessoais dos clientes, sejam PC's ou carros ou máquinas de barbear ou sei lá o quê.

Eu acho que ela vai ter muita vergonha quando souber das reacções dos portugueses ao vídeo e vai pensar duas vezes antes de voltar a falar do país e dos seus habitantes. Infame, só revelou ignorância e rancor, talvez dor de cotovelo.

Enfim... vejam o vídeo e, por favor, divulguem:

http://www.youtube.com/watch?v=1GCAnuZD7bk
Publicada por Ana Martins

10 mentiras:

Mentiroso disse...

Não se trata dum simples acaso, mas apenas duma continuidade do que já vem de longe. Esta «pétasse», como lhe chamariam os franceses, escritora de paredes de retretes, limitou-se a exteriorizar o gozo geral de que os imigrantes portugueses têm sido alvo no Brasil desse há muitas décadas. Não é uma novidade e tanto esses imigrantes como os brasileiros estão bem ao corrente. Que os jornaleiros vigaristas nos contem outras balelas, nada muda à realidade.

Isto deve-se tanto aos portugueses serem realmente atrasados como aos brasileiros não o serem menos: uns são bem dignos dos outros. É conhecido como os imigrantes portugueses são considerados nos países avançados para onde emigram. Como as pessoas nesses países são mais evoluídas, educadas, não fazem a mesma chacota que os brasileiros, apenas os considerando muito justamente como atrasados, dando-lhes esse desconto quando deles falam ou com eles tratam. Em contra-posição, como os brasileiros, ainda são mais atrasados, acham diferenças, mas não tendo a mesma evolução que nos países mais desenvolvidos, optam pelo gozo e pela chacota, característica bem conhecida dos atrasados mentais que também são.

Vistos bem os factos, não é de criticar tanto esta pobre idiota nas suas apreciações, como exposto ao início do presente comentário. Também não é de crer no seu falso arrependimento, tendo ela crescido a ouvir o que agora disse, ou seja, portanto convicta de estar em posse da verdade. Que aliás não é mentira: os portugueses são enormemente atrasados, é esta a realidade. Agora que goze a história, aliás partilhada pelo seu país, os monumentos que o Brasil não pode ter e outras coisas do género, isso sim, faz dela um animal sujo, ignorante, invejoso e desprezível, incapaz de reconhecer o atraso intangível do seu próprio povo, idêntico ao português mas num grau muitas vezes superior, na escrita e na fala dum descomunal número de iletrados.

Sobretudo, jamais creiamos no seu falso arrependimento.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mentiroso disse...

O comentário anterior foi removido por abuso anti-nacional juntamente com publicidade.
É uma repetição do mesmo abusador.

M.V.M. disse...

Você escreveu:
«Gosto de chamar a atenção para algo que considere necessário melhorar, mas sem ofender as pessoas na sua qualidade com defeitos e virtudes, como seres humanos. Tenho respeito por todo o ser vivo e seria incapaz de ofender os brasileiros ou os naturais de qualquer país.»
E, num comentário, escreveu (a propósito de Maitê Proença):
«...um animal sujo, ignorante, invejoso e desprezível, incapaz de reconhecer o atraso intangível do seu próprio povo, idêntico ao português mas num grau muitas vezes superior, na escrita e na fala dum descomunal número de iletrados...»
Não vê aqui uma contradição?
Já agora, podia ter sido um pouco mais original na escolha do nome do seu blog.
(PS: esteja à vontade para eliminar o comentário.)

Mentiroso disse...

Caro M.V.M.,

Obrigado pelo seu comentário, mas confundiu o autor do post com o do comentário de que transfere uma parte. Por isso compreende-se a sua admiração, a qual seria apropriada caso o autor fosse comum. Porém, trata-se de duas pessoas diferentes.

Embora não seja o autor, não creio que ele venha a eliminar o seu comentário. Ainda que isso só a ele diga respeito, não tem nada que o enquadre na norma de apagamento prevista na página dos comentários, além de que confundir é um pequeno engano que não afecta nem prejudica ninguém.

Existe, efectivamente muita gente que apaga comentários nos seus blogs, por diversas ideias: (1) apenas por discordar do conteúdo, ou (2) porque contêm provas pertinentes que contrariam o pensamento errado do autor e ele não pode debater, ou (3) ainda para dar a impressão errada de que o que ele(a) escreve deve ser considerado dogmático, pois que só se lêem comentários que o aprovam. Um blog é para se discutirem as ideias. Por isso que este procedimento, geralmente em blogs portugueses, tem que ser considerado uma cobardia, uma imposição de ideias própria, uma vigarice e uma profunda desonestidade. Aqui não se passa assim, só se apagam os comentários do tipo mencionado nesta página.

O nome do blog é um nome como outro qualquer e é bem compreensível em português. O mesmo ao se pode dizer de muitos nomes feitos a martelo e contra todas as regras gramaticais e etimológicas, usados por tantos brasileiros, que é de ter vergonha de pôr a cães, quanto mais a pessoas.

Anónimo disse...

Por "piada" ou gozação, ainda se poderia entender. Contudo é evidente o deboche e o escárnio.

A. João Soares disse...

Como autor do post, aliás baseado em desabafos variados que circulam em e-mails, concordo com Mentiroso em definir este espaço como um debate de ideias. E, sem querer ferir a «artista» (não me sinto atraído pelo que ela disse e fez, antes pelo contrário) acho que o caso e ela não merecem demasiado relevo nem, muito menos, prejudicar o bom entendimento entre os dois Estados.
Mas considero que tal pessoa deve ser proibida de entrar em Portugal, por não merecer ser bem recebida pelos portugueses que, por norma e tradição acolhem bem todos os que vêem por bem.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Mentiroso & mais malta

Postei ontem um textículo meu na Minha Travessa, intitulado "O mal e a caramunha". Adivinha(em) sobre quem é... Sobre a «senhora» M. Proença... E tem uma foto dela muito sugestiva...Se quiseres(em) ter a bondade de lá ir e cumentar (com o) fico à vossa espera. Obrigado. Termino: não voltarei mais a este «abençoado» assunto. Já chega. Muito boa gente mo tem dito. Concordo.

Qjs & abraços

Mentiroso disse...

Deixando passar algum tempo sobre estes tristes acontecimentos, podemos reflectir e tirar algumas conclusões e lições que deveríamos aprender, mas que parece terem sido em vão.

O vídeo do programa da TV Globo mostra a aprovação geral sobre o que a «senhora» disse, o que estende o caso muito para além da sua opinião particular e confirma o que a esse propósito expus no comentário acima. É um caso que merece o desprezo, mas não o esquecimento, pois que encerra algumas verdades, ainda que estas tenham sido apresentadas de modo grosseiro e por uma estulta, que podem ferir um orgulho mal fundado e que por cá é alcunhado de auto-estima para esconder a triste realidade. Contudo, vistas as reacções, os posts e os comentários que o assunto despertou na internet em geral, não se produziu qualquer proveitosa autocrítica. As suas desculpas evidenciam bem a falta de arrependimento, o que só veio agravar o caso, a ponto de se poder dizer delas pior a emenda que o soneto. As fotos da «artista» denotam os seus princípios, mas não parece poderem agravar nem atenuar o caso.

Anónimo disse...

Começo a desconfiar que talvez esta senhora descenda de extraterrestres, macacos ou talvez de uma goiaba podre.

Porvavelmente, se não fossem esses Portugueses brutais,assassinos e ladrões a malta brasileira estivesse a saltar de galho em galho "apanhando banana e catando os pióios da símia maitê"

Fan rdvass