Mentira!

Neste blog e noutros sites do autor poderá prever o futuro do país tal como o presente foi previsto e publicado desde fins da década de 1980. Não é adivinhação, é o que nos outros países há muito se conhece e cá se negam em aceitar. Foi a incredulidade nacional suicidária que deu aos portugueses de hoje o renome de estúpidos e atrasados mentais que defendem os seus algozes sacrificando-se-lhes com as suas famílias. Aconteceu na Grécia, acontece cá e poderá acontecer em qualquer outro país.
Freedom of expression is a fundamental human right. It is one of the most precious of all rights. We should fight to protect it.

Amnesty International


10 de maio de 2011

Povo Cobarde e Embrutecido

Com a intenção evidente de se aproveitar e sacar votos à miséria humana que domina a alma dos portugueses e a sua subsequente sede de auto-estima – ou seja, de orgulho em serem rascas, já que de outra coisa não têm motivo para presunção – a Câmara Municipal de Cascais publicou um clip de vídeo bastante bem montado. Só que, se na forma era aceitável, no fundo é uma vigarice mental por não corresponder àquilo que se pretende.

Este clip parece pretender convencer os finlandeses de que Portugal merece a sua ajuda. Todavia, destina-se apenas a fazer votar na cambada de corruptos dessa câmara. Não pode ser certamente para convencer os finlandeses. Nenhum povo é actualmente tão atrasado como os portugueses, pelo que os finlandeses, tal como a restante Europa, sabem bem o que se passa em Portugal. Melhor que os portugueses. Os grandes ignorantes mundiais estão nos EUA e não na UE. Nos outros países, embora com grandes deficiências informativas, essa deficiência não se compara com a sistemática desinformação nacional dos biltres jornaleiros que embruteceram os portugueses.

Assim, muito melhor do que os portugueses, eles conhecem as razões da miséria nacional. Na UE todos sabem que a causa número um está nos próprios portugueses. Que em todos os países, se se deixassem os políticos à rédea solta aconteceria o mesmo que cá se passa. Que a única forma de assegurar a honestidade dos políticos não é votando ora num partido de corruptos, oura noutro. Os animais políticos, em qualquer país, têm que ser obrigatoriamente controlados. Eles sabem que a constituição portuguesa é uma farsa de democracia, pois que não permite que o povo exerça o seu direito, acabando por resultar o que se vê, mas sabem também que cabe ao povo e mais ninguém – excluindo representações, deputados e governos – corrigir o que está mal, exigindo uma nova constituição democrática ou a sua completa remodelação, restituindo ao povo os seus direitos soberanos.

Não há outro caminho, muito menos as reclamações que se lêem contra um partido ou outro e só servem para assegurar a continuidade da catástrofe. Dum modo igual, não interessa ouvir todos os peidos dos corruptos que nos contam em todos os noticiários sem excepção. Continuamente. Sobretudo desde que a cabra da Manela Leiteira introduziu a baixeza da pura ordinarice barata expressada por deputados e outros sacanas que deixaram estalar o verniz e mostraram que mais não são do que simples cabrões ordinários. Tendo em mente que os partidos tudo fazem por um voto e nada para perdê-los, não parece incontestável que este comportamento só seja possível por a populaça aplaudir por se rever neles? Nada disto existe em NENHUM país democrático e é a imagem que estes monstros transmitem de Portugal para o mundo, porque todos conhecem. Uma outra prova de que Portugal não é uma democracia. Isso só serve para embutir a mentira e apoiar a canalha na mente atrasada e desinformada e distorcida da população. Calem esses vigaristas todos de uma vez para sempre. O que queremos é nunca os ouvir e – em tempo de eleições – apenas que nos apresentem os seus programa. Se nenhum programa resolve a corrupção não convém. Se não convém, voto em branco. Não queremos assistir à vergonha dos seus comícios e outros. Não precisamos de ouvir estes monstros vigaristas, ladrões, corruptos e canalhas a ladrar sem parar. Não interessam e é só propaganda paranóica para enganar tolos.

Com os conhecimentos atrás citados, os finlandeses e todos os outros sabem ainda que os portugueses admitem e aprovam a corrupção, que se tornaram calões e que nada têm produzido devido às políticas que admitiram aos governos, mas mesmo assim têm querido viver acima dos seus meios, contraindo a dívida nacional. Sabem que a dívida que os fanáticos dos partidos atribuem a um só partido é uma falsidade dos que o afirmam e uma estupidez crassa daqueles que não compreendem essa impossibilidade. Os outros europeus sabem-no.

Ainda que haja outras causas, como as publicadas neste post. Este post contém também a lista do que todos queremos que os partidos incluam no seu programa e de que eles se recusam. Estas medidas são duma importância muito superior a todas e quaisquer medidas que os partidos possam apresentar por os seus dois alvos são a eliminação da corrupção e o nivelamento da população. É disto que o mundo sabe que depende o progresso de qualquer país, pelo que todas as outras medidas são secundárias. É a úma mudança estrutural que os partidos escondem e que o PSD conspurca com o seu slogan de mudança. Sem isto não há a mudança estrutural necessária e um partido que não as coloque no seu programa não merece um único voto.

O grosso da dívida foi utilizado para permitir que a população vivesse como nos países ricos, mas sem produzir. Os outros europeus também o sabem. É do conhecimento de todos que começou com o governo do Cavaco. Ou já se esqueceram de como um povo miserável de repente desatou a comprar electrodomésticos desenfreadamente, casas, tudo? Donde vinha o dinheiro? E ainda destruiu a agricultura, as pescas e a indústria. Sem elas ainda há hoje pategos que crêem parvamente que a miséria vai terminar em 2013. Nem 10 anos; talvez mesmo jamais se chegue a viver como um país médio. Que povo mais parvo que cai em todas as armadilhas, sem se dar conta dos logros por que já passou. Um povo que não aprende com os seus erros é um povo condenado.

Os governos (todos e sem excepção) endividaram o país para o povo viver como os que trabalham e produzem e serem votados. Os outros europeus sabem-no. Fizeram isto com êxito porque os jornaleiros embruteceram a populaça e convenceram-na de que isso era justo, correcto, bom para todos e democrático (!). Foi isso principalmente, que inchou a dívida nacional. Basta comparar um gráfico que apresente os montantes anuais dos fundos europeus de coesão recebidos com um outro sobre o endividamento anual do país. Não é por acaso que são inversamente proporcionais. O dinheiro foi usado para manter a população contente como com morfina em lugar de desenvolver o país. Todos os governos fizeram exactamente o mesmo, donde a culpa foi igual. Nem mais, acordem. Culpar o partido que se encontre no governo na altura de pagar a factura é exactamente o que nos outros países se reconhece hoje como uma confissão de estupidez, atraso mental dos portugueses para compreenderem os seus problemas e incapacidade para os resolverem.

Enquanto isto se passou em Portugal, os finlandeses e outros trabalhavam duramente, tiveram privações, mas conseguiram ultrapassar os problemas e melhorar a sua vida. Este vídeo é uma impostura e seria uma anedota se acaso pretendesse convencer os finlandeses a darem dinheiro a um povo incapaz de tomar conta sua própria fauna política. O governo acedeu, mas a opinião popular não mudou. Nem pensar, vejam-se os comentários desse vídeo e tirem-se as conclusões. Alguns desses comentários, entre tantos, dizem-no claramente:

Is the purpose of this video to challenge Finns for voting against the loan? If so, I'm sure it is a success.

In short: Portugal needs to stop to live with other peoples' money. It needs to make its own. Tens of billions of Euros have been given to the country by the taxpayers of other EU member states over the years. When there is evidence that this kind of shift is taking place in the country, others will be more inclined to help in extraordinary situations of need.
Portugal foi o país que recebeu mais dinheiro da UE por habitante. Os outros sabem e conhecem como foi mal administrado, desperdiçado e roubado. Só os portugueses continuam a acreditar no capuchinho vermelho e pretendem ignorá-lo.

Now tell us what we shouldn't know about portugal, right?

Makes me want to vote against the bails even more.

Portugal is howling dog. Fix your own problem that you made yourselves.

That is finnish attitude for you, just a disclaimer for those who are not familiar with it. The harder we are pressed towards a resolution, the more we will refuse to take it, even if refusing it is worse for us. Imagine that...

I'm not going to discuss anything about the video. Some of the facts are not true, no one cares about most of them and the guy who made it does not represent the Portuguese people in any way.

Portugal can't blame us if we dont give any money to Portugal, finns didn't put Portugal in that situation. If im wrong so let me know. Learn to use your money right, Portugal!

Basically... Portugal hasn't done anything since the nineteenth century, crowded their country too much that they had to move around the world and fucked up their own economics?

If I were to lend out money, it wouldn't be to someone who can't tell anything of their future capabilities and repayment. The past has gone and the debt describes success of losing all wealth shown on this video.

If you are deeper in debt then Finland was in the nineties you must have more corrupt politicians than the Finns do. And believe me, they suck.



O vídeo também causou má opinião devido à sua apresentação mostrar a tal auto-estima de arrogantes estúpidos tão bem cultivada por jornaleiros e políticos nacionais e que, note-se bem, é uma das causas maiores do atraso da população por a impedir de conhecer os seus eros e por isso de emendá-los:

If Portugal is so fucking awesome, why you ask money from us?????

The biggest helper in 1940 was Germany.

Maybe if the Portugese hadn't bought all those Nokia phones with bank loan, they might not be dependent on the Finnish vote for the monetary support package.

Hmm. Seeing how great a country Portugal is, should we as finns be asking them for money?

PIGS squeal when they're taken to slaughter.

You invented prepaid card for mobile phones, why didn't you invent prepaid credit card instead?

Nice little facts, but if you cant handle your economics, we are not the ones who shoudl pay for it..

Dude, I don't need any arguments against you. You are the one who already calls himself jaxyFAG

The end of the video is pathetic though. Nobody helped us really in the winter war - which was truly a shameful part of european history. Few tons of cloth and cereals didn´t help us to stop million russians. Portugal's problem is the endless greed of international financial market. Not Finland.



Os portugueses mostram a sua mentalidade e civismo à Europa e ao mundo num sem número de procedimentos e é desse modo que são conhecidos. Alguns dessas condutas e atitudes são inigualáveis no continente: o modo como conduzem (é talvez o mais conhecido), como estacionam, como tratam os animais, como se comportam face a corrupção, como dominam os seus políticos, como se tornaram um povo tão rasca que se orgulha em ser atrasado e estúpido. Este último é o oposto de como eram antigamente reconhecidos, humildes e valorosos.


Adenda:
Na noite que seguiu a publicação deste artigo, as televisões mentiram de novo, como de costuma, dizendo que os Finlandeses tinham uma imagem elogiosa de Portugal. Podem dizer o que quiserem, que a prova está nos comentários escritos pelo povo, como se lê aqui e no local do vídeo, donde estes comentários foram copiados, não nas invenções de jornaleiros impostores. Não é novidade, foi assim que eles embruteceram o povo.

3 mentiras:

Zita disse...

Todos aqueles que votaram devem estar felicíssimos, pq é deles a certeza quase absoluta de que vão contribuir para salvar o país...
Impõe-se salvar o país sim mas dos políticos.

Quem votou e acertou no vencedor pode estar ciente apenas de uma coisa. Ajudou o país a mudar de rostos mas as "leis" anarcas que regem os políticos lá ficaram... vazias, inúteis e nulas.
Vamos assistir a grandes mudanças no país sim senhor. Vamos assistir a mais um momento glorioso de despesismo brutal, em que todos os ministros e administradores públicos, que eram do Sócrates, vão ser demitidos e indemnizados brutal e desmesuradamente, e colocados nuns tachos menos vistosos.
Por sua vez Passos Coelho procederá á redistribuição dos grandes tachos do país pelos seus amigos e colegas, estes grandiosos tachos tão ambicionados, actualmente por todos os portugueses e creio que até já os estrangeiros. Ou não tivéssemos nós os administradores públicos cotados como dos mais bem pagos na Europa.

Parabéns a todos os que votaram consentindo, mais uma vez, que os políticos vivam numa anarquia que sufoca todos os dias a liberdade dos portugueses.
Consentiram, que nem rebanhos amansados, que os políticos continuem a despejar o país e a esperança dos portugueses.
Consentiram que confiam nos políticos, depois de décadas de provas do contrário.
Consentiram e acreditaram que votar é um direito, só porque os políticos o dizem. Incapazes de perceber que votar é consentir. Incapazes de ver por nós próprios, que eles precisam que as pessoas ocorram ás urnas para criar a ideia errada de que os portugueses ainda confiam e gostam do trabalho dos políticos.

A. João Soares disse...

Sinto o dever de dizer duas coisas, não coincidentes:
Primeira: concordo com o texto do post e com o comentário de Zita;
Segundo: Acho que um e outro são simplesmente o diagnóstico do problema, a parte derrotista, mas não abordam a parte positiva, de terapêutica do mal. Neste momento que ninguém parece duvidar de ser de uma crise à beira da catástrofe final, é necessário o esforço de cada português para reequilibrar Portugal em todos os sectores desde o civismo individual até à produção e às exportações passando
pela justiça social, a educação, a governação, etc.

Devemos estar atentos, criticar aquilo que nos parece menos correcto e indicar formas de melhorar esses erros. A colaboração de cada um é útil, é indispensável.

Abraços
João

Mentiroso disse...

Evidentemente trata-se dum diagnóstico (a que os jornaleiro iletrados chamariam de prognóstico, como tão frequentemente os ouvimos). O mérito porém, não é de quem se limitou a copiá-lo para o blog, mas de quem o concebeu. Não tenho, porém, o costume de transcrever coisas escritas por políticos, a não ser com o intuito de as criticar. Seriam exemplos que só poderiam conduzir ao erro do partidismo.

Também tenho a crença de que os diagnósticos devem ser divulgados devido existir uma maioria que lhes sofre as consequências sem compreender donde elas lhe chegam e quase sempre apontando-as a origens erradas e sem nexo. Por isso que os considero parte essencial para o conhecimento do problema, donde nada a ver com derrotismo. Derrotismo seria a aceitação ou resignação, o que não me parece sobressair do que se pode ler por aqui ou algures- Penso tornarem-se ainda mais necessários precisamente por não duvidarem da crise à beira da catástrofe, mas continuarem subjugados aos princípios partidários: tiramos um porque é mau, vamos pôr outro que é melhor. Erro, que tem sido sempre cada vez pior porque a corrupção tem alastrado e os que assim foram criados e aqueles que a ela se adaptaram não se sentem mal nela. Nada haverá a fazer porque nada será possível sem que essa compreensão nasça. Não é derrotismo, mas objectivismo, portanto aquilo que deve ser combatido. Isto é contudo, um assunto em que haveria muito mais a desenvolver.