Mentira!

Neste blog e noutros sites do autor poderá prever o futuro do país tal como o presente foi previsto e publicado desde fins da década de 1980. Não é adivinhação, é o que nos outros países há muito se conhece e cá se negam em aceitar. Foi a incredulidade nacional suicidária que deu aos portugueses de hoje o renome de estúpidos e atrasados mentais que defendem os seus algozes sacrificando-se-lhes com as suas famílias. Aconteceu na Grécia, acontece cá e poderá acontecer em qualquer outro país.
Freedom of expression is a fundamental human right. It is one of the most precious of all rights. We should fight to protect it.

Amnesty International


11 de junho de 2007

Corrupção na Justiça? Não Só

O corpo de texto em itálico, que serve de base para este artigo, foi difundido pelo jornal O Sol em 27-2-2007, em relação a uma publicação do dia anterior no Diário da República. Foi em seguida e até há alguns dias divulgado por imensos blogs. O caso continua sem que qualquer responsável preste as devidas satisfações ao soberano, o povo.

É na consequência desta falta que aqui se repete e se apresentam no fim as conclusões evidentes sobre esta atitude daqueles que se desresponsabilizam do mesmo modo que os criminosos o fazem: lavando as mãos do sangue que derramam.


Hugo Marçal está em vias de ser admitido a frequentar o curso de auditor de justiça do Centro de Estudos Judiciários. O nome do arguido no processo de pedofilia da Casa Pia vem publicado no Diário da República de ontem, entre centenas de candidatos a frequentar a escola que forma os juízes portugueses. Mas ao contrário dos outros, Hugo Marçal não vai prestar provas.

Pelo facto de ser doutor em Direito - grau académico que terá obtido em Espanha - está por lei «isento da fase escrita e oral» e tem ainda «preferência sobre os restantes candidatos». Resultado: o advogado de Elvas está na prática à beira de ser seleccionado para o curso que formará a próxima geração de magistrados.

O nome de Hugo Manuel Santos Marçal surge na página 4961 do Diário da República de ontem, 2.ª série, com o número 802, na lista de candidatos a ingressar no CEJ.

Se concluir o curso com aproveitamento e iniciar uma carreira nos tribunais – primeiro como auditor de justiça, depois como juiz de direito – Marçal terá também o privilégio de não ser julgado num tribunal de primeira instância.

Assim, se o julgamento do processo Casa Pia ainda subsistir, haverá que proceder à separação de processos, e o caso de Marçal será tratado por juízes desembargadores, no tribunal da Relação.

Advogado em Elvas, Hugo Marçal, de 46 anos, é suspeito do abuso reiterado de um ex-aluno da Casa Pia e de ser cúmplice no esquema de prostituição alegadamente montado por Carlos Silvino.

A acusação relaciona-o com os encontros numa casa de Elvas onde menores da Casa Pia mantinham relações sexuais com clientes angariados por Silvino, o ex-motorista da Casa Pia e principal arguido do processo.

São ainda acusados neste processo Carlos Cruz, o ex-provedor-adjunto da Casa Pia, Manuel Abrantes, e o médico Ferreira Diniz, entre outros.

O Ministério Público pretende que Hugo Marçal seja condenado por 36 crimes: 22 de lenocínio e 14 de abusos sexuais de menores (respeitantes a um único menor).

Por Manuel Agostinho Magalhães
manuel.a.magalhaes[@]sol.pt



Há quem pareça não ter memória nem a necessária mioleira para discorrer as causas deste acontecimento e até se pergunte “Porquê?”, como se lê em vários blogs. Como porquê? Então não sabe a população inteira que a corrupção tomou conta do país por sua própria aprovação? Alguém reclamou a esse sujeito quando os fundos europeus de coesão foram desbaratados, roubados por Políticos & Amigos e o restante posto em circulação, para produzir inflação e dar a ilusão de que todos viviam bem, para dar votos, em lugar de se usarem para a actualização e progresso do país, que ficou assim para trás? Ou porque se considerará que o Cavaco chegou a ter três governos, inédito em Portugal, senão pelos papalvos julgarem que estavam a viver bem e os governos eram bons? Como diz o ditado, “Cada povo tem o governo que merece”. Ainda se poderia acrescentar: e a vida que escolheu. Também há quem diga “Quem boa cama fizer nela se há-de deitar”. Cantaram como a cigarra ao som da trompeta da ilusão do primeiro-ministro; agora que dancem ao da do presidente. Pois têm-se agora os resultados completos, tanto no que respeita à miséria como à corrupção. E vem agora o senhor presidente afirmar que todos sem excepção se devem unir para remendar os resultados do bando de corruptos e de ladrões que ele dirigiu enquanto primeiro-ministro. Quel culot.

De salientar que o Cavaco não tem demonstrado os maus sentimentos gerais da sua corja – nem agora nem antes – é um fraco seguidor que se tem deixado levar à trela pela bandidagem. Presentemente, em melhor posição, tem também melhores conselheiros que lhe evitam de meter a pata em poças mais fundas. Todavia, nem esta nem qualquer outra possibilidade serve de desculpa ou isenta da responsabilidade ligada a qualquer cargo. Se não pode, que salte da carroça; se continua, que arque com a responsabilidade.

Quem se poderá admirar da corrupção geral quando praticamente todos se sentem tão bem nela como peixes na água. Tal como diz o Procurador Geral. Quando acaso são vítimas dalguma consequência dizem (pior, pensam) que tiveram azar. É como as mães que passaram a ter os filhos nas ambulâncias: é por azar.

Dito isto, resta ainda evidenciar uma outra corrupção – a aceitação – demonstração de que, para a moralidade de quem aceite, este caso do Hugo Marçal não é nada de bradar aos céus, é só um pouco de barulho, mas tudo voltará à “ordem”. Esta outra corrupção patenteia-se nos juízes ao aceitarem um tal colega sem qualquer escrúpulo nem repugnância. Nem vale a pena insistir em que isto define a corrupção e acontecimentos deste teor tenham lugar e continuaremos a afundar-nos sem razão para reclamar. Moral da história: não se incriminem aqueles a quem demos a permissão para nos martirizarem.

4 mentiras:

Meg disse...

Já comentei este caso. Quando soube, como a pouca verginha é tanta, nem dei importância...
Quando apareceu do DR então fiquei muito indignada. Porque agora nem sequer tenho a certeza de lhe não vir ser atribuída uma qualquer condecoração...
Começo a perder a esperança...
Um abraço

Barão da Tróia II disse...

O grande problema é que exitem 3 ou 4 mil que andam acordados e os restantes 10 milhões andam a dormir na forma, ninguém liga a nada, nem querem, aos seus poucos neurónios bastam-lhe os futebóis, as procissões e as novelas. Assim vai isto a que insistimos em tomar por um país. Boa semana.

Mentiroso disse...

Pois é, caro Barão, vivem felizes como na canção do grupo Pink Floyd, Comfortably Numb, mas o conforto é fictício. A única solução é sacudi-los para os despertar. Entretanto não é um país, é uma cloaca.
Quase bom fim de semana...

Paulo Sempre disse...

Decálogo do corrupto
(...) "realizarás todos os teus actos na sombra, em silêncio, sem provas, sem testemunhas, longe de documentos e especialmente ao largo de telemóveis (...)"

Na «sombra», né?

Abraço
Paulo